Ajude-nos: Avise-nos caso o anúncio não condiga com este site!
 
: Cadastre-se : Navegue aqui:
Especiais
Apocalipse (2)
Bíblia (1)
Comentários (3)
Deus & Jesus (6)
Diversos (20)
Evangelismo (8)
Família (6)
Finanças (1)
Igreja (9)
Jovens e Adolecentes (1)
Musica e Louvor (24)
Oração (1)
Palavra da Fé (14)
Pecado (3)
Polemico (8)
Reflexões (32)
Teologia (14)
Testemunhos (2)
Vida Cristã (29)
Anderson Alcides (4)
Cristiane T. Menezes (5)
Damião B. de Alencar (4)
Daniel Tavares (2)
Diversos (14)
Douglas Araujo Falcão (2)
Eduardo M. Andrade (1)
Elias Pinheiro (8)
Geiza Moura de Lima (3)
João Guilherme (1)
Juvenal F. S. Filho (7)
Marcio Barreto (3)
Mauro C. Graner (27)
Paulo Christiaanse (2)
Pr. Célio Alves da Silva (2)
Pr. Ivaldo Costa (6)
Pr. Luciano P. Subirá (2)
Pr. Luis Carlos (3)
Pr. Otoniel F. Menezes (14)
Pr. Paulo R. Barbosa (30)
Pr. Paulo S. Barreto (3)
Pr. Raul de Sousa (13)
Pr. Valdir F. Menezes (7)
Pra. Janethi T. Menezes (4)
Rafael Gomes Portela (6)
Robson A. C. Olate (4)
Rodolfo N. da Silva (1)
Sheder Chagas (6)
 
Os artigos contidos neste site são de responsábilidade exclusiva de seus autores ou colunistas que os introduziram no site. Eles também podem não representar inteira ou em partes a opinião deste veículo de comunicação.
Artigo / Musica e Louvor / Pr. Ivaldo Costa
Haleluiah – Louvor e Adoração – Parte II
Veja que poderoso é o louvor. Quando gritamos HALELUIAH estamos dizendo louvai ao senhor e estamos promovendo libertação. Você já ouviu dizer que o louvor liberta e agora na própria palavra aleluia encontramos a confirmação disto.

HALAL – O Louvor que rompe Cadeias
Romper cadeias, quebrar grilhões, libertar-se.

Veja que poderoso é o louvor. Quando gritamos HALELUIAH estamos dizendo louvai ao senhor e estamos promovendo libertação. Você já ouviu dizer que o louvor liberta e agora na própria palavra aleluia encontramos a confirmação disto. A bíblia nos dá um exemplo, entre outros, maravilhoso sobre esta verdade.

“Por volta da meia noite Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais presos escutavam.
De repente sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas; soltaram-se as cadeias de todos.” (Atos 16.25,26)

Neste texto bíblico nos deparamos com o poder do louvor para libertar, Paulo e Silas estavam presos fisicamente porém suas almas estavam livres como um pássaro que voa nas alturas. Estavam orando e cantando com tanta força e com a atitude correta diante de Deus, ou seja estavam não só cantando e sim louvando ao Senhor com suas canções, que as prisões se abriram pela força de um terremoto provocado pelo louvor deles. A princípio pensamos que aquele lugar não era propício para o louvor. Porém Paulo já havia descoberto o poder de libertar que tem o verdadeiro louvor. Nesta pequena narrativa bíblica encontramos lições profundíssimas sobre a libertação pelo louvor.

Libertação do ambiente espiritual:

Numa casa de reclusão ou penitenciária há uma série de sentimentos, na sua maioria os de revolta, vingança, ódio, medo, solidão, depressão entre outros, tudo isso proporciona a instalação de um ambiente espiritual extremamente pesado e opressor. Os demônios trabalham para gerar violência, suicídios, assassinatos desespero e amarguras. E foi num ambiente exatamente assim que Paulo e Silas usaram a poderosa arma do Louvor. Enquanto eles louvavam o ambiente espiritual daquele lugar foi liberto isto fica claro na afirmação de que eles cantavam e os presos ouviam, imagino os presos quietos sentindo algo diferente, agradável. Um sentimento de liberdade se instalou neles a tal ponto que quando as cadeias da prisão se abriram eles permaneceram ali como que arrebatados pelos louvores. O sentimento de libertação era tão forte nele que não houve nenhuma tentativa de fuga, mesmo tendo-se quebrado os seus grilhões e aberto-se as cadeias.
Veja que você pode transformar o ambiente pesado de uma reunião ou até mesmo de sua casa com o verdadeiro louvor.


Libertação do Pecado

A experiência de Paulo e Silas é maravilhosa pois naquela mesma noite o carcereiro foi liberto de seus pecados para a salvação de sua alma e mais de toda a sua família (Atos 16.33,34). Aqui aprendemos que em vez de ficarmos resmungando ou insistindo com os nossos sobre a salvação de suas almas, devemos exercitar o louvor com profunda reverência e santidade e então as cadeias serão quebradas e libertos serão os pecadores. A maioria dos testemunhos de conversão que já ouvi relatam o fato de que alguém estava louvando a Deus e a música mexeu com o coração do ouvinte e lhes foram abertos os olhos para a salvação. O meu primeiro contato com o evangelho se deu através do louvor minha paixão por Deus se acendeu através de músicas de louvor que escutei de alguns jovens batistas. O louvor liberta. HALELUIAH


ALILÁH
Milagre, Façanha, Obra

Veja que maravilha, dentro da família da palavra Aleluia encontramos a palavra ALILAH que significa milagre, com isto entendemos o poder do louvor para a realização de maravilhas. A Bíblia está repleta de exemplos que confirmam o poder do louvor para a operação de milagres, porém uma das mais fascinantes histórias é a de Josafá narrada no livro de 2 Crônicas 20. 15-23

15 e Jaasiel disse: Dai ouvidos, todo o Judá e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá, ao que vos diz o SENHOR. Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus.
16 Amanhã, descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz; encontrá-los-eis no fim do vale, defronte do deserto de Jeruel.
17 Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o SENHOR vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco.
18 Então, Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém também se prostraram perante o SENHOR e o adoraram.
19 Dispuseram-se os levitas, dos filhos dos coatitas e dos coreítas, para louvarem o SENHOR, Deus de Israel, em voz alta, sobremaneira.
20 Pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; ao saírem eles, pôs-se Josafá em pé e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém! Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.
21 Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o SENHOR, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo: Rendei graças ao SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre.
22 Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o SENHOR emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados.
23 Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os moradores do monte Seir, para os destruir e exterminar; e, tendo eles dado cabo dos moradores de Seir, ajudaram uns aos outros a destruir-se. (2 Crônicas 20:15-23 RA)

O texto é simplesmente maravilhoso, daria uma mega produção holyoodiana . Quando os cantores cantaram com Júbilo Deus realizou o grande milagre diante deles: Um exército numeroso e cruel se vê totalmente confuso, por causa daqueles que cantavam e celebravam à Deus uma vitória por antecipação. Aqui surge uma pergunta: Quem eram aqueles cantores. Eram artistas, estrelas? Não, eles eram levitas, Sacerdotes, dispostos a ir a guerra. Suas músicas eram verdadeiras e poderosas armas de guerra contra o inimigo, eram servos conscientes de seus ministérios, totalmente comprometidos com o seu Deus. Os levitas eram os encarregados pelo tabernáculo, pela música, viviam em constante comunhão com Deus, eram separados para um ministério específico, eles atraiam a presença de Deus para o meio do povo. Hoje infelizmente há muitos cantores entre nós, porém poucos levitas, poucos estão dispostos a ir a guerra. Querem ir aos Shows, com direito a cachês altíssimos, camarins de primeira, fama luxo etc. Por outro lado os verdadeiros levitas não são honrados, não recebem, não se investe neles, são colocados em segundo ou terceiro plano. É triste ver como alguns pastores tratam os músicos de suas igrejas, vemos hoje uma multidão de músicos desempregados tendo que usar o seu talento em boates e bares para sustentarem-se . Porém se você é um levita não se desanime pois na hora da guerra Deus conta com você e o seu sustento vem dele, sua vida pode ser um canal para os milagres de Deus. Consagre sua vida, você é o encarregado por Deus para transportar a Arca do Senhor, suas músicas podem curar, operar milagres e atrair a presença de Deus para o meio do Povo e gerar o ambiente profético. Há uma exemplo muito maravilhoso sobre isto e que fortalece esta afirmação, está em 2 Reis 3: 1-18:

Jorão, filho de Acabe, começou a reinar sobre Israel, em Samaria, no décimo oitavo ano de Josafá, rei de Judá; e reinou doze anos. Fez o que era mau perante o SENHOR; porém não como seu pai, nem como sua mãe; porque tirou a coluna de Baal, que seu pai fizera. Contudo, aderiu aos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, que fizera pecar a Israel; não se apartou deles. Então, Mesa, rei dos moabitas, era criador de gado e pagava o seu tributo ao rei de Israel com cem mil cordeiros e a lã de cem mil carneiros. Tendo, porém, morrido Acabe, revoltou-se o rei de Moabe contra o rei de Israel. Por isso, Jorão, ao mesmo tempo, saiu de Samaria e fez revista de todo o Israel. Mandou dizer a Josafá, rei de Judá: O rei de Moabe se revoltou contra mim; irás tu comigo à guerra contra Moabe? Respondeu ele: Subirei; serei como tu és, o meu povo, como o teu povo, os meus cavalos, como os teus cavalos. Então, perguntou Jorão: Por que caminho subiremos? Respondeu ele: Pelo caminho do deserto de Edom. Partiram o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom; após sete dias de marcha, não havia água para o exército e para o gado que os seguiam. Então, disse o rei de Israel: Ai! O SENHOR chamou a estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe. Perguntou, porém, Josafá: Não há, aqui, algum profeta do SENHOR, para que consultemos o SENHOR por ele? Respondeu um dos servos do rei de Israel: Aqui está Eliseu, filho de Safate, que deitava água sobre as mãos de Elias. Disse Josafá: Está com ele a palavra do SENHOR. Então, o rei de Israel, Josafá e o rei de Edom desceram a ter com ele. Mas Eliseu disse ao rei de Israel: Que tenho eu contigo? Vai aos profetas de teu pai e aos profetas de tua mãe. Porém o rei de Israel lhe disse: Não, porque o SENHOR é quem chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe. Disse Eliseu: Tão certo como vive o SENHOR dos Exércitos, em cuja presença estou, se eu não respeitasse a presença de Josafá, rei de Judá, não te daria atenção, nem te contemplaria. Ora, pois, trazei-me um tangedor. Quando o tangedor tocava, veio o poder de Deus sobre Eliseu. Este disse: Assim diz o SENHOR: Fazei, neste vale, covas e covas. Porque assim diz o SENHOR: Não sentireis vento, nem vereis chuva; todavia, este vale se encherá de tanta água, que bebereis vós, e o vosso gado, e os vossos animais. Isto é ainda pouco aos olhos do SENHOR; de maneira que também entregará Moabe nas vossas mãos. (2 Reis 3:1-18 RA)

Veja só que coisa tremenda: Ali naquele deserto havia a necessidade de uma palavra profética, havia um profeta de Deus, havia três Reis com seus exércitos necessitando ouvir a voz de Deus, porém não havia ambiente profético, a palavra profética não fluiria e o Profeta Eliseu discerniu isto e mandou chamar um tangedor, um levita que proporcionaria o ambiente para a manifestação da palavra profética, a responsabilidade aqui de atrair a palavra profética era do levita (tangedor), agora imagine se ali houvesse apenas um músico sem qualquer compromisso com Deus, um músico com sua vida impura, que não pudesse ser canal para a geração do ambiente espiritual propicio para a manifestação da palavra de Deus. O que o profeta queria era um verdadeiro levita que fosse capaz de atrair a presença de Deus. Aquele ambiente estava pesado, havia um clima de morte, de desespero, um clima de derrota absoluta. O rei de Israel se desanimou e disse: “O Senhor chamou a estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe”. Nessa hora o rei Josafá se levanta e pergunta por um profeta, graças a Deus ali havia um, logo em seguida o profeta pede um tangedor e glória Deus ali também havia um levita. Veja só que trio: Um rei, um profeta e um levita, aqui temos uma lição extremamente pertinente para os nossos dias. Não podemos trabalhar isoladamente. O rei (líder, pastor) não pode trabalhar sozinho, o profeta não pode achar-se o máximo e prescindir do levita essa conjugação de força e talento diante de Deus se transforma numa bomba de efeitos extraordinários nas mãos de Deus. Há algo que devemos destacar aqui , o fato de o profeta fazer menção de seu respeito ao Rei Josafá. Quem era Josafá qual a razão de o profeta o reverenciar com tanto respeito.

  • Josafá era um rei justo.
  • Josafá era um pacificador - foi ele quem pôs fim a longa inimizade com Israel , ao entrar numa aliança de casamento com a casa de Onri.
    Josafá viveu em paz com o rei de Israel. (1 Reis 22:44 RA)
  • Josafá era um grande e hábil e administrador
  • Josafá era um rei de eminente piedade, que zelosamente procurou, honrar a Yahweh
  • Josafá foi responsável por expurgar as formas pagãs de adoração

Tornou-se-lhe ousado o coração em seguir os caminhos do SENHOR, e ainda tirou os altos e os postes-ídolos de Judá. No terceiro ano do seu reinado, enviou ele os seus príncipes Ben-Hail, Obadias, Zacarias, Natanael e Micaías, para ensinarem nas cidades de Judá; e, com eles, os levitas Semaías, Netanias, Zebadias, Asael, Semiramote, Jônatas, Adonias, Tobias e Tobe-Adonias; e, com estes levitas, os sacerdotes Elisama e Jeorão. Ensinaram em Judá, tendo consigo o Livro da Lei do SENHOR; percorriam todas as cidades de Judá e ensinavam ao povo. (2 Crônicas 17:6-9 RA)

  • Josafá tinha uma visão levita - Foi ele quem incluiu os levitas numa classe especial estabelecendo uma corte mista especial composta de Levitas, Sacerdotes e anciãos , isto foi um ponto notável na história legal da nação .

Estabeleceu juízes no país, em todas as cidades fortificadas, de cidade em cidade. Disse aos juízes: Vede o que fazeis, porque não julgais da parte do homem, e sim da parte do SENHOR, e, no julgardes, ele está convosco. Agora, pois, seja o temor do SENHOR convosco; tomai cuidado e fazei-o, porque não há no SENHOR, nosso Deus, injustiça, nem parcialidade, nem aceita ele suborno. Também, depois de terem voltado para Jerusalém, estabeleceu aí Josafá alguns dos levitas, e dos sacerdotes, e dos cabeças das famílias de Israel para julgarem da parte do SENHOR e decidirem as sentenças contestadas. Deu-lhes ordem, dizendo: Assim, andai no temor do SENHOR, com fidelidade e inteireza de coração. Toda vez que vier a vós outros sentença contestada de vossos irmãos que habitam nas suas cidades: entre sangue e sangue, lei e mandamento, estatutos e juízos, admoestai-os, que não se façam culpados para com o SENHOR, para que não venha grande ira sobre vós e sobre vossos irmãos; fazei assim e não vos tornareis culpados. Eis que Amarias, o sumo sacerdote, presidirá nas coisas que dizem respeito ao SENHOR; e Zebadias, filho de Ismael, príncipe da casa de Judá, nas que dizem respeito ao rei. Também os levitas serão oficiais à vossa disposição. Sede fortes no cumprimento disso, e o SENHOR será com os bons. (2 Crônicas 19:5-11 RA)

Neste abençoado rei de Judá temos o perfil de um líder, honrado, visionário, justo, que merece o respeito e a reverencia até dos profetas.

O outro personagem desta narrativa bíblica é o profeta Eliseu, é muito importante que se tenha um breve perfil deste homem para que possamos entender como deve ser o histórico de um verdadeiro profeta de Deus.

Eliseu foi um profeta do antigo testamento que teve seu ministério cercado de maravilhas e sinais tanto no âmbito pessoal como no âmbito nacional, era ainda muito jovem quando foi buscado por Elias que foi o seu grande referencial e mestre, veja que na sua juventude Eliseu se ocupou de estudar na escola dos profetas e passou a seguir bem de perto ao grande profeta Elias.
O ministério de Eliseu se estendeu por todos os reinados de Acabe, Acazias, Jeorão, Jeú, Jeoacaz e Joás, um período de mais de cinqüenta anos. Eliseu emergiu como uma espécie de vidente, segundo a tradição de Samuel , e para o qual tanto os populares como os reis se voltavam em busca de ajuda.
Sua ordenação como profeta se deu por investimento do profeta Elias mediante o seu manto profético. Há algo maravilhoso na vida deste homem de Deus foi o fato de Eliseu continuar sendo servo de Elias até este ser trasladado. Eliseu recebeu porção dobrada do espírito que estava sobre Elias por sua extrema aplicação e perseverança.
O episódio que narra a participação de Eliseu na campanha dos três reis contra Moabe registra seu pedido de música para receber um oráculo de Deus. Há uma forte sugestão de ter havido aqui uma profecia de êxtase como aconteceu nos textos bíblicos a seguir:

Então, seguirás a Gibeá-Eloim, onde está a guarnição dos filisteus; e há de ser que, entrando na cidade, encontrarás um grupo de profetas que descem do alto, precedidos de saltérios, e tambores, e flautas, e harpas, e eles estarão profetizando. O Espírito do SENHOR se apossará de ti, e profetizarás com eles e tu serás mudado em outro homem. Quando estes sinais te sucederem, faze o que a ocasião te pedir, porque Deus é contigo. (1 Samuel 10:5-7 RA)

Davi, juntamente com os chefes do serviço, separou para o ministério os filhos de Asafe, de Hemã e de Jedutum, para profetizarem com harpas, alaúdes e címbalos. O rol dos encarregados neste ministério foi: (1 Crônicas 25:1 RA)

Eliseu era portanto um profeta que também entendia que a música tem seu lugar especial para a geração de ambiente profético, Eliseu reconhecia o valor de um músico santo e comprometido.

O terceiro personagem desta história que gostaria de fazer destaque é o Tangedor (músico)
Deste aqui não temos nenhuma referencia histórica, não sabemos o seu nome, não sabemos se ele tinha já ganho algum prêmio por sua qualidade musical, não sabemos se ele tinha uma banda, se era um músico famoso. O que sabemos é que ele era um músico, um músico que também era servo e por isso era um levita pois levita é servo. Você pode se perguntar em que me baseio para afirmar que este tangedor era servo. Eu lhe respondo: No simples fato de estar ele numa campanha de guerra no meio de um deserto e de atender ao chamado de um profeta, este músico sabia que o destaque não seria dele e sim do profeta, porém ele também entendia que o seu concerto era para o Deus vivo que seria seduzido por sua música e enviaria sua palavra através do profeta Eliseu. Aqui está portanto o modelo para todos os músicos e cantores que desejam agradar a Deus com suas músicas: estejam dispostos a ir a guerra, a enfrentar o deserto, enfrentar o anonimato desde que você tenha a oportunidade de ser um canal para o fluir da palavra profética.

Fonte: Pr. Ivaldo Costa
Criada: 19/10/2002

Adicionar em seus favoritos Recomende esta página para um amigo Imprimir este artigo
Outros Estudos do Autor:
21/12/2002 - Vida Cristã - Elias
17/12/2002 - Musica e Louvor - Levitas devem viver no Altar
19/10/2002 - Musica e Louvor - Haleluiah – Louvor e Adoração – Parte II
29/09/2002 - Musica e Louvor - Haleluiah – Louvor e Adoração – Parte I
12/09/2002 - Diversos - Abrão - Um herói deprimido
30/07/2002 - Musica e Louvor - Levitas, Quem São?

Veja aqui todos os artigos do autor
Comentário Enviados
 
Deixe seu comentário Enviar para um amigo
Atenção: Todas as mensagens envidas são de inteira responsabilidade daqueles que as enviam. As mensagem serão publicadas em ambiente aberto sem moderação prévia, caso tenha algum problema entrar em contato com os administradores do site. Não deixe de ler o termo de uso do site.

Nome:

E-Mail:

Imagem de Segurança:

Digite o Código da Imagem de Segurança:

Comentário:


Remetente
Seu Nome:
Seu E-Mail:
Destinatário
E-Mail:
Mensagem:
 
Publicidade
ContatoDivulgueNo que cremosPublicidadeQuem somosTermos de uso
Network Gospel Brasil
Contatos: contato@netgospel.com.br | Parcerias: parcerias@netgospel.com.br
NGB © Copyright - Todos os direitos são reservados